Santa Maria, A ilha do sol...

Depois do adeus a São Miguel, e após uma viagem aérea de 52 milhas náuticas para sul, de cerca de 15 minutos, aterramos no aeroporto internacional da ilha de Santa Maria, a terceira mais pequena dos Açores - 92 km2.

A primeira sensação é de paz e tranquilidade proporcionado pelo ambiente acolhedor, característico das ilhas açoreanas.

No campo paisagístico, Santa Maria apresenta uma paisagem marcada pelo contraste da planura da sua metade ocidental, onde se localizam o Aeroporto e as freguesias de Vila do Porto, São Pedro e Almagreira, e a outra metade oriental, muito mais acidentada, onde se encontram as freguesias de Santa Bárbara e Santo Espírito, e o ponto mais alto da ilha, o Pico Alto.

O clima pouco difere das outras ilhas, mas por ser a ilha mais a sul é a mais seca e solarenga, o que lhe confere uma maior amenidade em quaisquer das estações do ano.

Umas das particularidades mais marcantes é o seu povoamento disperso com o seu casario branco, de uma arquitectura popular típica, donde ressaltam, à vista, as chaminés que evocam a origem algarvia e alentejana dos primeiros povoadores.

Foi a primeira ilha a ser descoberta, em 1427, pelo navegador português, Diogo Silves, e também a primeira a ser povoada, tendo sido incumbido desta nobre tarefa o Comendador de Almourol, Frei Gonçalo Velho.

Vila do Porto foi o primeiro burgo do arquipélago, e apresenta-se em duas partes distintas. A primeira, para baixo da Matriz, que mantém o traçado primitivo das suas ruas, de cariz medieval, a segunda, mais nova, para cima da Matriz, desenvolve-se ao longo de uma rua comprida e espaçosa com casario dos dois lados.

Espalhado pela ilha existe um interessante património arquitectónico, onde alguns dos seus elementos constituem marcos da história mariense e do povoamento das ilhas dos Açores, sendo de realçar:

- A Igreja da Nossa Senhora da Assunção, actual Matriz da Vila do Porto, cuja construção foi iniciada nos finais do século XV;

- O Convento de São Francisco, onde se encontram instalados alguns serviços públicos. Foi fundado em 1607, destruido pelos piratas em 1616 e reconstruido em 1725. Anexo a este está a Igreja de Nossa Senhora da Vitória, com um painel de azulejos de muito valor, do século XVII, representando milagres de Santo António.

- A Igreja da Misericórdia, de construção anterior a 1536, onde se encontra um retábulo de Santa Isabel, e a imagem do Senhor dos Passos, uma das mais bonitas dos Açores;

- O Forte de São Brás, edificado para defesa da Vila e o Museu de Santa Maria, em Santo Espírito, que reune interessantes trabalhos da teclagem e olaria locais;

- A Ermida de Nossa Senhora dos Anjos, no lugar dos Anjos, onde a tripulação de Cristovão Colombo rezou, no regresso da sua viagem em que descobriu a América;

- A Igreja de Nossa Senhora da Purificação, em Santo Espírito, com a sua fachada barroca e campanário azulejado, é o mais belo templo da ilha. A sua construção remonta ao século XVI;

- As Igrejas paroquiais de São Pedro, e Almagreira, as Ermidas de Nª Senhora do Pilar e de Nª Senhora de Fátima são interessantes templos da história religiosa da ilha.